25 / 08 / 2011

Cinquecento agora é mexicano

Cinquecento: design divertido arranca sorrisos na rua

Modelo interessante pelo seu charme, o “Cinquecento” (ou 500) é a releitura de um clássico global da Fiat que começou a sua história na época da II Guerra Mundial.

Vendido em vários lugares do mundo, inclusive no Brasil desde o fim de 2009, o ´neto´ do inusitado ´Topolino´ agora foi relançado para o mercado nacional com preço reduzido. Virá diretamente de Toluca, México (ao contrário do que acontecia via Polônia) sem taxas de importação, portanto, mais barato. Obviamente, o foco da marca não é transformá-lo num ´super star´, até porque o 500 não tem o mesmo talento para vendas que o Uno Mille, no entanto, a empresa decidiu investir com mais atenção na carreira dele, já que a procura por veículos desse tipo têm aumentado no Brasil. O nicho é seleto e nele encontram-se, basicamente, três figurinhas carimbadas como concorrentes diretos: Mercedes Smart, BMW Mini e VW Beetle. Há um ´porém´ mercadológico: com esse relançamento mais barato – com preços que começam em R$ 39.990 e terminam em R$ 54.800 – a Fiat amplia a atuação do Cinquecento no mercado, já que, pelo ótimo pacote de itens de série (que englobam freios ABS, controle  de tração e estabilidade, direção elétrica, som da renomada marca Bose, e até 7 Airbags) o carrinho confrontará também o Citroën C3, Renault Sandero e até os ´primos´ Fiat Palio e Punto.

O 500 terá boas chances de incomodar nesse embate. Bonito e extremamente exclusivo, arranca sorrisos de admiração no trânsito e terá como trunfo diante da concorrência a facilidade de manutenção, por causa da grande rede de concessionários. O fabricante promete peças de reposição e serviços feitos no mesmo nível que qualquer outro Fiat por aqui revendido.

[nggallery id=49]

O que mudou?

Basicamente, o modelo mexicano é idêntico ao que já roda no Brasil, com exceção dos piscas laterais extras que foram integrados aos pára-lamas dianteiro e traseiro. A parte estética recebeu novos pára-choques e desenhos de minissaias laterais, mas o conjunto é o mesmo. Como o veículo será revendido também nos Estados Unidos, lugar de alto padrão de exigência por parte dos consumidores, ele recebeu reforços na carroceria, melhor isolamento acústico e suspensão recalibrada (com novos coxins, amortecedores, batentes e barra estabilizadora).

A paleta de cores continua de bom tamanho e foi ampliada com vários tons de vermelho, preto, cinza e branco pérola. A melhoria do conjunto mecânico fez o conforto evoluir.

O modelo terá cinco versões com dois motores e três tipos de câmbio diferentes. Virá com os propulsores Fire Evo 1.4 8V Flex (o mesmo do Novo Uno com 88 cv de potência 12,5 kgf.m de torque) e também como o 1.4 16V MultiAir a gasolina (105 hp e 13,6 kgf.m de torque). Os câmbios podem ser: Manual, Dualogic (automatizado) ou automático (transmissão japonesa de 6 velocidades) e as versões (do básico ao topo do luxo) são a Cult; Cult Dualogic; Sport Air; Sport Air Automático e Lounge Air. Do começo ao fim da gama, ambos são bem equipados, a começar pela preocupação da Fiat com a segurança em oferecer todas as versões com freios a disco nas quatro rodas.

Traços marcantes

Difícil ficar indiferente a um Cinquecento passando na rua. A alegre similaridade com o “Luigi” (personagem do filme “Carros 1”) é uma das características mais marcantes do modelo. Com diversas opções de personalização com faixas e cores diferentes, o 500 é o caminho da diferenciação da mesmice do trânsito brasileiro, onde a maioria se confunde entre si. O panorama da ditadura dos carros pintados em prata e preto, além da imitação de estilos das marcas não alcança a exclusividade do carrinho da Fiat.

Veredicto

Não espere do Cinquecento mexicano um desempenho de um bólido metido a Ferrari, mas, se por um lado não há potência de sobra, existe enorme diferenciação na hora de ir às compras, parar na frente da pizzaria ou desfilar devagarzinho pela orla alagoana.

Muito bem formulado em freios, suspensão e com motores espertos, o Cinquecento ´veste´ os ocupantes num habitáculo moderno e muito aconchegante. Os tecidos são de boa qualidade e o restante do material é bem agradável ao toque. Como de costume, a marca italiana foi impecável na ergonomia desse projeto. O carro é muito bom de dirigir e cansa pouco mesmo em trajetos longos. Se queres aparecer no meio da multidão sem gastar tanto dinheiro… eis uma opção interessante.

Deixe seu comentário