30 / 03 / 2015

Vendas de carros antigos em Amelia Island superam os US$ 60 milhões

30_aa15 (1)

Após a fusão entre as gigantes ´RM Auctions´ e ´Sotheby´, ocorrida em fevereiro deste ano, o primeiro leilão em conjunto dessas duas empresas especializadas em vendas de automóveis antigos, aconteceu recentemente em Amelia Island, na Flórida (EUA). O evento estabeleceu o retumbante recorde de 60 milhões de dólares em vendas totais.

Num período de três anos, a Ferrari produziu apenas seis cabriolets no chassi Superamerica Série 1. A rápida e luxuosa Ferrari 400 Superamerica manteve a tradição de carros customizados ao gosto do cliente e cada um foi construído especialmente para o seu primeiro proprietário. Nunca houve dois exemplares exatamente iguais. Acima você confere a primeira geração do Fairlady Z foi lançada em novembro de 1969. O modelo vinha com motor de 6 cilindros em linha, 160 cv e 3 carburadores

Num período de três anos, a Ferrari produziu apenas seis cabriolets no chassi Superamerica Série 1. A rápida e luxuosa Ferrari 400 Superamerica manteve a tradição de carros customizados ao gosto do cliente e cada um foi construído especialmente para o seu primeiro proprietário. Nunca houve dois exemplares exatamente iguais. //// Acima você confere a primeira geração do Fairlady Z, que foi lançada em novembro de 1969. O modelo vinha com motor de 6 cilindros em linha, 160 cv e 3 carburadores

O valor mais alto foi encabeçado por uma Ferrari 400 Superamerica na cor ´Garrafa Verde Metálica´ (Metallic Bottle Green), que foi vendida por quase US$ 6,4 milhões de dólares.

Maravilhosa Ferrari 365 GTC/4, arrematada por US$ 495 mil !

Maravilhosa Ferrari 365 GTC/4, arrematada por US$ 495 mil !

 

Outros modelos interessantes foram negociados, incluindo um absolutamente intocado Nissan Fairlady Z 432 (ano 1970, praticamente zero quilômetro) que foi vendido por um recorde de US$ 253 mil.

Revelado no Salão de Paris de 1972, o Porsche Carrera RS 2.7 foi um modelo especial usado para homologar o 911 no “Grupo 4” para corridas. Desenvolvido a partir do 911S, o 2.7 foi mais forte em quase todas as áreas. Tinha motor maior, traseira mais larga, suspensão reforçada e freios mais eficazes. Esse bólido vinha de fábrica, em 1972, com 210 cv de potência

Revelado no Salão de Paris de 1972, o Porsche Carrera RS 2.7 foi um modelo especial usado para homologar o 911 no “Grupo 4” para corridas. Desenvolvido a partir do 911S, o 2.7 foi mais forte em quase todas as áreas. Tinha motor maior, traseira mais larga, suspensão reforçada e freios mais eficazes. Esse bólido vinha de fábrica, em 1972, com 210 cv de potência

 

Mais um resultado surpreendente no leilão foi conseguido por uma Ferrari 365 GTC/4, arrematada por US$ 495 mil, isto é, cerca de US$ 100 mil a mais do que qualquer uma GTC/4 vendida anteriormente.

Em 1986 a Porsche começou a fabricar o 930 Turbo SE. Apelidado de ´ Nariz Chato´, esse modelo tinha carroceria mais moderna que os 911 e motor de 330 cv. O 930 Turbo SE, curiosamente, foi pouco vendido, apesar de ser requintado e todo feito à mão

Em 1986 a Porsche começou a fabricar o 930 Turbo SE. Apelidado de ´ Nariz Chato´, esse modelo tinha carroceria mais moderna que os 911 e motor de 330 cv. O 930 Turbo SE, curiosamente, foi pouco vendido, apesar de ser requintado e todo feito à mão

 

Os Porsches raros continuam com tendência de preços ascendentes em todo o mundo. Um 911 Carrera RS 2.7 Touring (ano 1973) , por exemplo, foi vendido pela pequena fortuna de US$ 891 mil e um 911 ´Nose Slant´ Turbo Cabriolet atingiu a bela cifra de US$ 363 mil. Já o belíssimo 911 Turbo (ano 1979) pintado na rara cor ´Yellow Chiffron´, foi vendido por US$ 253 mil.

Esse incrível Porsche 911 pintado na rara combinação de carroceria ´Yellow Chiffron´ com interior marrom, foi vendido por US$ 253 mil. Pouquíssimo rodado, foi uma das atrações do evento ocorrido na Flórida

Esse incrível Porsche 911 pintado na rara combinação de carroceria ´Yellow Chiffron´ com interior marrom, foi vendido por US$ 253 mil. Pouquíssimo rodado, foi uma das atrações do evento ocorrido na Flórida

Há quase 15 anos que os automóveis antigos vêm superando investimentos clássicos como dólar, ouro, imóveis e ações e, especialmente nos Estados Unidos, o movimento antigomobilista tem crescido a cada ano. Apenas obras de arte – especificamente pinturas raras – mantém-se à frente da valorização de carros clássicos. (Fotos: divulgação)

30_aa15 (7)

Deixe seu comentário