09 / 11 / 2017

////

09_pcf091117

:::::

CHEGANDO – Nissan confirma que vai importar o seu elétrico Leaf para o Brasil a partir de 2019. O modelo é o primeiro carro elétrico a ser fabricado e revendido em escala global. Já é comercializado em vários países, mas o Brasil ainda não estava nos planos da fabricante japonesa. A empresa também anuncia a volta do SUV X-Trail ao mercado brasileiro.

DÚVIDA – Leitor me questionou via eMail querendo saber os porquês que levam os carros novos – tão cheios de tecnologia – serem tão beberrões no Brasil. De fato: um veículo de pequeno ou médio porte aqui no país não consegue fazer mais do que 7,5 ou 8 km/litro de combustível. A maioria só tem autonomia de – no máximo – 370 quilômetros com um tanque de combustível rodando na cidade. Com raríssimas exceções, como por exemplo, Volkswagen Up!, Peugeot 208, Fiat Mobi e Renault Sandero (todos equipados com motores de 3 cilindros e bem econômicos), os dados acima são reais.

CAUSAS – Vários detalhes colaboram para o alto consumo dos carros nacionais: 1) Qualidade duvidosa dos combustíveis. Nossa gasolina vem com um percentual altíssimo de álcool e água, sem contar com o relevante grau de desonestidade de muitos revendedores que ´batizam´ os combustíveis com solventes e outras misturas criminosas. Os motores Flex também são vilões do baixo consumo. Jamais foram tão econômicos quanto os propulsores idênticos movidos puramente a gasolina; 2) Relação peso/potência desfavorável. Existem veículos vendidos no Brasil que são beberrões em ciclo urbano e medíocres de desempenho na estrada. É imcompreensível a quantidade de carros fabricados e/ou revendidos por aqui que são pesados demais para os seus motores de baixa potência; 3) A quantidade insana de semáforos, ´quebra-molas´, radares e ´lombadas eletrônicas´ também colabora para o consumo da frota nacional, sem esquecer que as retomadas de velocidade são campeãs nas emissões de gases poluentes.

ESQUENTOU? – A multinacional Basf apresentou ao mercado uma novidade intrigante: novas tintas para a indústria automotiva com cores escuras que conseguem manter a temperatura no mesmo nível das tonalidades claras! A cor preta já foi altamente utilizada até o início dos anos 2000. Hoje o prata, o cinza e o branco são os campeões na escolha do público.

DUAS RODAS – Na semana que vem começa o Salão Duas Rodas 2017. Pela primeira vez, o evento vai acontecer no São Paulo Expo, na Rodovia dos Imigrantes. Na segunda-feira (13/11) haverá uma ´avant première´ apenas para a imprensa e convidados. O evento será aberto ao público de 14 a 19 de novembro (terça a sábado) das 14 às 22h.

OUTRO – Também na semana que vem (quinta-feira, 16/11) a Volkswagen fará em São Paulo uma pré-apresentação do Virtus (versão sedã do Polo) para alguns jornalistas especializados do setor. Lá estaremos representando a Gazeta de Alagoas. O modelo será lançado oficialmente em janeiro de 2018, assim garante Pablo Di Si, novo presidente da Volkswagen do Brasil.

ÂNIMO – A maioria dos presidentes de montadoras de veículos no Brasil está otimista em relação à retomada de crescimento das vendas de automóveis no país. Em entrevistas duranhte lançamentos de carros, muitos deles têm falado na crença de uma recuperação de até 10% do mercado brasileiro nos próximos três anos. Já é visível o sorriso no rosto dos concessionários, que amargaram momentos difíceis nos últimos três anos de gestão de Dilma Roussef.

SOBE E DESCE – O mundo, de fato, rendeu-se aos utilitários esportivos. Os famosos ´SUVs´ nunca venderam tão bem, ao contrário dos hatches compactos, que começam a cair lá fora. Para se ter uma ideia do poder desse tipo de veículo, os SUVs já representam quase 15% no total das vendas globais de veículos!

Deixe seu comentário