05 / 05 / 2015

Furiosa linha Audi RS completa 20 anos no mercado brasileiro

05_a rs 0001

Lá pelos idos de 1994/95, a Audi do Brasil iniciava uma nova fase pós-Senna Imports, empresa fundada pelo tricampeão de F1, Ayrton Senna. Uma das ações mais significativas desse período de renovação da marca no país foi a introdução da linha “RS”, um braço esportivo capaz de incrementar os já bem dispostos modelos tradicionais da Audi.

Pintado num vermelho chamativo, o Audi RS Q3 tem um ronco imponente, apesar de ter "apenas" 310 hp. Acima, a joia da coroa: RS 5

Pintado num vermelho chamativo, o Audi RS Q3 tem um ronco imponente, apesar de ter “apenas” 310 hp. Acima, a joia da coroa: o sensacional cupê RS 5

Na nomenclatura dessa empresa germânica, a sigla RS é uma abreviatura da palavra teutônica ´Rennsport´, que pode ser traduzida como ´automobilismo esportivo´.

Nesta sequência de 3 fotos, a incrível SW Audi RS 6: 560 cv de potência numa perua familiar!

Nesta sequência de 3 fotos, a incrível SW Audi RS 6: 560 cv de potência numa perua familiar!

Ícones de sucesso >> Essa furiosa ramificação desenvolvida pela seção Quattro GmbH, gerou ícones conhecidos no mercado global de carros esportivos, como por exemplo, o Audi RS 2 Avant, modelo fabricado em conjunto com a Porsche e que na época era a SW (station wagon) mais rápida do mundo. Fez um enorme sucesso com o seu poderoso motor de 5 cilindros.

Perceba o tom dessa bonita pintura cinza. Tendência em cores ´sólidas´ dos anos ´70 está em alta

Perceba o tom dessa bonita pintura cinza. Tendência em cores ´sólidas´ dos anos ´70 está em alta

O mesmo ocorreu com o Audi S6 plus, RS 4 Avant, RS 6, Audi RS 4 e com a linha compacta RS 3 Sportback, todos bem amargos perante à concorrência e bons de comercialização.

Sistema de freios é espetacular e oferece discos de cerâmica

Sistema de freios é espetacular e oferece discos de cerâmica

Novas linhas RS 6 e 7 >> Nesse momento a Audi do Brasil enfatiza o aniversário de 20 anos da linha RS no mercado nacional (e 30 anos no mundo) com as novas versões dos esportivos Audi RS 6 Avant (perua) e RS 7 (sedã). Ambos receberam novidades no design e continuam com extraordinário desempenho, além de oferecer bom espaço interno para quatro pessoas e ótimo nível de conforto. Possuem o mesmo conjunto mecânico e são impulsionados pelo espetacular motor V8 4.0 TFSi de 560 cv de potência e torque de 70 kgf.m.

R8: motor V10 de 550 hp impulsiona esse bólido ultra veloz

R8: motor V10 de 550 hp impulsiona esse bólido ultra veloz

Experiência de condução >> Por causa da profissão de jornalista automotivo, já tive a oportunidade de avaliar (em perímetros urbanos, estradas e autódromos) centenas de carros diferentes, dentre os quais, alguns muito especiais como os Mercedes AMG, as BMWs da série “M”, Jaguar “R” e também Porsches. Mas o fato de um carro esportivo ser extremamente rápido e cheio de tecnologia, não significa, necessariamente, que ele será primorosamente equilibrado e agradável de se guiar. Às vezes, uma equação que oferece força extrema, por exemplo, traz prejuízos nas dinâmicas de curva, na capacidade de frenagem e até no simples prazer de dirigir.

RS 7, um sedã com comportamento dúbio: manso na cidade e explosivo nas altas rotações

RS 7, um sedã com comportamento dúbio: manso na cidade e explosivo nas altas rotações

Onde estou querendo chegar? >> Na semana passada tive a oportunidade de guiar quase toda a linha Audi RS num autódromo com liberdade para acelerar do jeito que quisesse. Me impressionei com o barulho do motor e a capacidade de fazer curvas do RS Q3, assim como reverenciei a força do R8 e (perdoe o clichê batido…) ´tirei o chapéu´ para as qualidades impressionantes que o RS 6 e 7 oferecem. Esses dois últimos, ao mínimo toque no acelerador, parecem querer morder o asfalto e exalar tudo aquilo que está disponível embaixo do capô. Sem dúvida, ótimos carros turbinados com uma performance incrível, mas que, talvez, sejam excessivamente fortes, beirando a um tipo de relação não muito agradável no dia a dia.

05_a rs 0008

O pico do prazer >> É bem arriscado dizer isso, pois qualquer generalização é perigosa, mas, mesmo idolatrando os Porsches desde criança (e já tendo experimentado vários), tenho certeza de que nunca tive em mãos um conjunto tão agradável, seguro e divertido quanto o do Audi RS 5.

Audi RS 5: motor V8 aspirado e 450 hp de pura diversão. Nada melhor debaixo desse céu azul

Audi RS 5: motor V8 aspirado e 450 hp de pura diversão. Nada melhor debaixo desse céu azul

O modelo vendido no Brasil sai com carroceria cupê de duas portas, e o motor que o equipa é um V8 FSi aspirado (sem adição de turbo) com 4.200 cilindradas e 450 cv de força. Custa R$ 450 mil ou… R$ 1.000 por hp!

Aqui o RS 5 deixando a pintura pra trás! E abaixo, toda a linha RS 2015

Aqui o RS 5 deixando a pintura pra trás! E abaixo, toda a linha RS 2015

Com regulagens eletrônicas de comportamento dinâmico, essa máquina entrega – na dosagem exata – a melhor sensação de subida de giro que já pude experimentar. A equação reúne o tilintar dos 8 cilindros fielmente atentos à pressão do seu pé direito no acelerador. Quanto mais você pisa, mais fôlego ele oferece e quanto mais você insiste em extrair o máximo do motor, mais diversão chegará à sua vida, só que, com uma lição agregada: a de que você não conseguirá ser maior do que esse carro. O Audi RS 5, na minha opinião, nesse instante é o melhor resultado que a engenharia mecânica automotiva pode alcançar. A palavra é bem feia, mas ele é, para mim, indefectível. Sem medo de errar, esse modelo representa a chancela mais exata que a Audi poderia esperar da sua (saborosa) linha RS. (Fotos: divulgação)

05_a rs 0011

Deixe seu comentário