30 / 11 / 2017

Marca coreana Ssangyong voltará em 2018

Aguardando as novas regras para importação, com possíveis alterações para o mercado doméstico, a Venko, nova representante da marca sul coreana Ssangyong, apresentou produtos que promete comercializar em 2018. A empresa corre para injetar ânimo nos concessionários sobreviventes e nomear outros, intentando chegar a 50 pontos de venda. A marca já esteve no Brasil por duas vezes e passada a crise na matriz, agora controlada pela indiana Mahindra, retorna ao país com novo importador que é originalmente o primeiro representante da Chery.

Ssangyong estará de volta em 2018 (Foto: divulgação)

Ssangyong estará de volta em 2018 (Foto: divulgação)

A nova operação demonstra o interesse no mercado, através da junção de capitais da controladora indiana Mahindra, pela Ssangyong e pela representante Venko. Retorno com quatro produtos em diferentes segmentos:

SUV Compacto – Tivoli e seu derivado XLV. Motores a gasolina, 2.2 litros, parcos em potência: 128 cv e torque de 16,3 kgf.m. Esta medida é obtida por motor menor, como o Fiat 1.6 EtorQ. Câmbio automático Aisin de seis velocidades. Diferença entre os dois está no comprimento. O XLV tem mais 24 cm e porta-malas maior.

SUV – É o Korando, apresentador da marca ao Brasil. Estilo atualizado pela casa Pininfarina. No destroçar dos ateliês de construção dos grandes ´carrozziere´, a Mahindra assumiu 3/4 do capital. Motor a diesel, 2.2 litros, 178 cv e 41 kgf.m de torque. Tração nas quatro rodas sob demanda. O Korando aplicará a tração em duas ou na totalidade de acordo com o necessário.

Picape Action – Mecânica comum ao Korando, porém, com comando de tração com reduzida 2X4, 4X4 e diferencial central pelo motorista. Curiosamente, baixa capacidade de carga: 681 kg. Não é monobloco como as picapes leves, mas emprega chassi com longarinas. Preços apenas projetados, pois desconhecida a imposição tributária no atrapalhado projeto de regulação do setor, dito Rota 2030. Tivoli entre R$ 85 e 100 mil; XLV (R$ 5 mil adicionais); Korando (R$ 135 a 150 mil); Actyon Sports (R$ 120 a 135 mil).

RODA-A-RODA

MAIS UMA – Eurobike, com rede de revendas BMW e Porsche, nova representante da inglesa McLaren no Brasil. Produtora de esportivos desenvolvidos com ´know how´ da Fórmula 1, tenta há alguns anos encontrar importador. O tricampeão Nelson Piquet foi sondado e declinou, mas comprou uma unidade. Importação pós-nova legislação em 2018.

RECORDE – Recém surgida no mercado, sucesso de vendas, a norte-americana Tesla, produtora de veículos elétricos, anuncia recorde mundial para 2020: esportivo de produção industrial apto a acelerar de 0 a 100 km/h abaixo de 2 segundos!

PAINEL – É o mais ágil já construído. Para noção, o Bugatti Chiron, do alto de seu motor 8.0/16 cilindros em W, leva 2,5 segundos para realizar a mesma proeza.

TEM MAIS – Surpreendeu-se? Vem aí o caminhão Tesla. Vazio irá de 0 a 100 km/h em 5 segundos. Com 36 toneladas de carga, 20 segundos! Atração maior: carregado, será capaz de manter 105 km/h numa subida de 5 graus. Caminhões do mesmo porte movidos a óleo diesel, andam a 70 km/h. Resultado, media horária maior, menos tempo em viagens. Autonomia de 800 quilômetros!

Caminhão elétrico Tesla: custo alto para recarregar as baterias

Caminhão elétrico Tesla: custo alto para recarregar as baterias

NA FRENTE – Ford anunciou mudança na linha Fiesta. Não é a sétima geração, mas trato na anterior. Chama-o, com pouca criatividade, de New Fiesta 2018. Marca-se pela mudança na grade frontal, cuja cor, preta ou cromada indicam a versão de conteúdo. Para-choques mudaram.

Ford revitaliza o compacto New Fiesta

Ford revitaliza o compacto New Fiesta

FREIO – Garroteou investimentos, inalterando o grupo óptico, mas incluiu barras anti-intrusão nas portas e reforço estrutural no teto. Aparentemente, depois dos maus resultados do KA nas provas de impacto do LatinNCAP, iniciou corrigir a chamada ´economia construtiva´. Tempos atuais exigiram levar a tela de 19 cm à versão SEL, com sistema Mirror Screen. Versão de topo, Titanium, agrega câmera de ré.

MECÂNICA – Motores mais potentes na categoria, em alumínio, 1.6 com 125 cv, e 1.0 Ecoboost turbo, 125 cv e densos 20 kgf.m de torque. Medida encontrável nos motores 2.0 aspirados. Transmissões manual de cinco velocidades ou automática e polêmica Powershift, com seis marchas.

QUANTO? – Leque abre em R$ 56.690 na versão de entrada e vai a R$ 75.190 para a de topo, Titanium 1.6 Plus, transmissão automática, bancos revestidos em couro, sete airbags, sensores de chuva e crepúscular.

NOVO – No início de janeiro a Honda apresentará novidades estéticas no sedã compacto City.

VALOR – Surpresa: a Citroën foi a marca de maior ganho no valor de revenda de seus veículos dentre 24 marcas analisadas pela Agência Auto Informe. Neste ano o índice de depreciação média dos Citroën foi de 12,4%, contra 18,1% em 2016.

Citroën cresce no valor de revenda

Citroën cresce no valor de revenda

SITUAÇÃO Apesar do enorme esforço dos dois fabricantes franceses, seus produtos com boa construção, ausência de problemas, realidade de manutenção de R$ 1/dia, sempre foram vistos com distância. Mercado deu indicações de melhor enxergar.

ELEIÇÃO – Jornal do Carro, do Estado de São Paulo, fez pesquisa entre 1.500 motoristas e elegeu a Mercedes-Benz como a marca mais lembrada. Também foi vitoriosa em iniciativas da AutoData e TranspoData.

DEFINIÇÃO – Assumida pela Marcopolo, também fabricante de carrocerias para ônibus, a Neobus definiu estratégia: aplicou-se aos micro-ônibus. Até outubro, montou 639 unidades, contra 413 em 2016, 64,4% de crescimento. Dedica-se, também, aos urbanos Mega; micros Thunder e rodoviários N10.

AMBIÇÃO – Rinaldi, produtora gaúcha de pneus e câmaras de ar reforçadas para motos com aplicação off-road, iniciou exportar ao atrativo mercado norte-americano. USAMX, a importadora, foi responsável por abrir o mercado mexicano à Rinaldi, quer repetir o feito nos EUA, a partir da Flórida.

GENTE – Carlos Gomes, português, presidente Brasil America Latina, membro do board do Groupe PSA, eleição. Personalidade do Ano no Prêmio AutoData 2017. Segunda vez. Antônio Megale, Anfavea; Besaliel Botelho, Bosch; Roberto Cortes, da MAN, também. OOOO Sílvio Campos, engenheiro mecânico, mestre em economia, progressão. Marketing do produto na Case IH tratores. OOOO (Os artigos e matérias assinados por colaboradores são de inteira responsabilidade dos seus autores. A editoria geral desse veículo, necessariamente, não concorda com as opiniões aqui expressas. Texto desta coluna: Roberto Nasser)

Deixe seu comentário