14 / 09 / 2017

Salão de Frankfurt define o futuro

Há alguns anos as principais mostras de automóveis no mundo têm como tema ou sub-tema os combustíveis verdes, as energias alternativas. Muitos protótipos, conversas, entrevistas e diversas propostas. E nenhum caminho definitivo dentre a miríade de soluções apresentadas… Frankfurt, o International Auto Show, realizado nesta fantástica cidade alemã, colocou ordem no negócio: o futuro é elétrico e virá em veículo autônomo. São, em síntese, as novidades maiores. Na prática, mais um degrau na perda de interesse sobre a grande invenção do Século 20, e o maior dos problemas do momento atual. A eletrização dos veículos retira-lhes o charme, a independência, a personalização. Saem a cilindrada, vão-se os cavalos de força a sugerir rapidez e mobilidade, e para seu lugar convocam a pouco emocional, amorfa, inodora medida de potência elétrica ´kW´ (kilowatt). Próximas medidas, hoje já disponíveis em alguns veículos e cidades com estrutura para orientá-los, o carro autônomo e a desnecessidade de possuí-lo para deslocar-se. O automóvel se encaminha para ser alguma coisa assemelhada a um SmartCar (um SmartPhone com rodas) com motor silencioso, sem vibrações, capaz de agir por conta própria, a conduzir com tanta sensação de mobilidade quanto um pequeno vagão.

VW I.D.Crozz, elétrico: com motor flex e feito no Paraná em 2018, será o “T-Cross”

VW I.D.Crozz, elétrico: com motor flex e feito no Paraná em 2018, será o “T-Cross”

Na prática >> Antes do exercício de futurologia explícita, papo de carro, Frankfurt nos coloca na sempre assumida postura de mercado pequeno e distante, adotada pelo Brasil a limitar importações para manter internamente a relação entre carros pouco equipados e muito caros. Assim, novidades pontuais: o despertar da Volkswagen Brasil para seguir o caminho dos SUV; o novo Duster, lá Dacia, aqui Renault.

O que virá? >> Transição será aos poucos, permitindo convívio e disponibilidade dos motores endotérmicos, em especial os de ciclo Otto com velas de ignição, mas a partir de 2025 todos os condicionamentos levarão ao carro elétrico e autônomo. Característica adicional, a mudança na relação de propriedade. Não mais será necessário ter um automóvel e vaga para guardá-lo nas muitas e longas horas sem uso. Eles pertencerão a frotas (até mesmo dos fabricantes), e os usuários demandá-los-ão pelo SmartPhone, sem relação de propriedade, ônus de impostos, taxas, financiamentos, com uso à base do reservou, desfrutou, pagou.

De Frankfurt >> Registro do início do fim, a mostra alemã trouxe reação corporativa da Volkswagen ao problema das emissões de poluentes por motores diesel, o DieselGate. Marca largou a patente do conterrâneo e pegou-se nos motores elétricos, e anunciou investir 40 bilhões de Euros, ampliando o leque de 30 para 100 modelos. Adotou, também, o caminho dos utilitários esportivos, os SUV. Tê-los-á em todas as famílias. Um dos exemplares, o I.D. Crozz, primeiro utilitário esportivo eletrificado, será modelo a ser produzido em São José dos Pinhais (PR) e a exibição faz pré-apresentação de sua morfologia, até então apenas conhecida em pequenas apresentações a público qualificado.

:::::::::: :::::::::: :::::::::: :::::::::: ::::::::

RODA-A-RODA

FESTA – Como vem marcando mercadológica tradição, ao comemorar 70 anos a Ferrari fez evento em Maranello, seu feudo: visita à fábrica, museus, leilão na pista de testes de Fiorano a metros de sua sede.

QUESTÃO – 500 automóveis vindos de toda Europa, engarrafamento de Ferraris, automóveis mais valiosos ante os ´hostels´ abrigando seus donos, súbita ascensão de renda média na cidade, demonstrações viris de cartões de crédito para conseguir lugar no Massimo Bottura, festejado restaurante na vizinha Modena…

ELE – Sergio Marchionne, presidente da marca, apareceu e fez charme no leilão: atendeu a lances por telefone e ao final fez apelo aos presentes para abrir a carteira para os lances no LaFerrari Aperta, com total destinado a obra pia. Conseguiu US$ 8,3 milhões, valor estratosférico para o veículo.

LaFerrari Aperta: por US$ 8,3 milhões é um despropósito...

LaFerrari Aperta: por US$ 8,3 milhões é um despropósito…

LIMPEZA – Na Inglaterra, marcas sob o guarda chuva da sino-franca PSA–Peugeot, Citroën, DS e Opel, adotaram programa de renovação de frota. Iniciativa corajosa, abarca os produzidos até 31 de dezembro de 2010 e acena com pagamento ou facilidades adicionais em caso de troca por carros elétricos.

DE VOLTA – Promessa de volta da alemã marca Borgward se concretiza. No Salão de Frankfurt a empresa expôs o redivivo Isabella Concept, em tendência atual, sedã ´acupezado´. Empresa vai bem, produzindo SUVs na China e tem 70 mil encomendas na fila.

Esportivo Isabella ressuscitado

Esportivo Isabella ressuscitado

FUTURO – Quer fazer fábrica em Bremen, como a empresa original. Acertou-se com a Sixt Neuwagen, maior distribuidora alemã ´on line´ de carros novos. Do Isabella dos anos ´50, mantém o estilo do design Impression of Flow, harmônico em seus 5 m de comprimento, 1,40 m de altura; 1,92 m em largura.

RACIONALIDADE – Onda de bom senso perpassa as fabricantes brasileiras de veículos, maiores do continente e com produtos adequados às peculiares exigências, convencendo as matrizes permitir ocupar espaços. Renault, operando na Colômbia e no Brasil iniciou exportar o Captur nacional ao Peru.

REGIONALIZAÇÃO – Toyota Argentina anunciou salto de produção de motores diesel de 30.000 para 77.000 unidades em 2018. Crescer 160% indica novo mapa da empresa: substituir importações pelo fornecimento regional.

VISÃO – Projeto é de Mark Hogan, conhecedor do mercado sul-americano com ex-presidente da GM nacional, e hoje membro do ´board´ da Toyota e com responsabilidades para a América do Sul. Steve St Angelo, CEO para a região, toca o negócio. Brasil iniciou exportar Corollas e Etios.

SURPRESA – Fechados números de vendas em agosto, Jeep Renegade é o utilitário esportivo mais vendido do mercado. Repete performance na Argentina.

OK – Presidente da Volkswagen confirmou produzir outro utilitário esportivo ao mercado nacional: o Thuran. Furo mundial pelo estreante portal Auto Papo. É projeto Sköda, especialista em solidez e custos contidos, baseado na multiconformável plataforma MQB. Menor ante o mexicano Tiguan e T-Cross, de produção no Paraná, servindo ao mercado nacional no final de 2018.

SUV – Parece a palavra de ordem da VW mundial, com opções em todas as versões de plataforma, e por isto nada impedindo o resgate da proposta do Taigun, o utilitário esportivo sobre o Up!

LÍDER – Dentre as inúmeras fábricas chinesas de automóveis, a Chery ganhou prêmio nacional de qualidade na 36ª Conferência Nacional de Qualidade da Indústria de Maquinaria da China.

FUTURO – Nestes momentos onde a dúvida da motorização do futuro foi substituída pela certeza do carro autônomo, Universidade de Michigan (EUA), onde estão as principais marcas norte-americanas implantou área de testes. Aqui o assunto não é tratado.

LÁ – MCity, o espaço, ocupa 13 hectares e o Departamento de Transportes baixou o ´Vision for Safety 2.0´, novas regras para indústria e governos estaduais interessados neste caminho. Governo age como governo: busca salvar e enriquecer vidas e garantir a liderança dos EUA no setor.

AQUI – Não temos diretrizes e governo faz cara de paisagem, sem preparar-se à profunda alteração nos equipamentos urbanos à realidade dos autônomos.

LUGAR – Brutus Sustainable Transport, ´start up´ curitibana, quer unir empresas querendo transporte a caminhoneiros disponíveis para cargas completas.

VANTAGEM – Entende oferecer preços menores pela constância e segurança da demanda. Em seis meses tem listados 30 empresas; 10.000 caminhoneiros; superou 12.600 transportes em 47 cidades. Inscrições gratuitas em www.brutusst.com.br

RECORDE – Simcas marcaram o 3º Encontro Nacional da marca, realizado em Canela (RS), com apoio do Museu do Automóvel local e do Museu Nacional do Automóvel em Brasília, e o regional Veteran Car das Hortências.

AMOSTRA – Marca durou 8 anos no país, fez umas 66 mil unidades, e as presentes representaram quase todos anos e versões. Raridade, o Simca 35, carro de corridas de Breno Fornari, primeiro piloto e desenvolvedor da marca.

Terceiro Encontro Nacional Simca: recorde, sucesso

Terceiro Encontro Nacional Simca: recorde, sucesso

RESULTADO – Em presença ascendente e recordista decidiu-se pela criação de clube e a realização do IV Encontro no próximo 2018.

GENTE – Mudanças na Dafra/KTM de motos em Manaus. Marketing será feito por Rafael Vieira e por Luiza Pellicani, assessora de imprensa. OOOO. (Os artigos assinados por colaboradores são de inteira responsabilidade dos seus autores. A editoria geral desse veículo, necessariamente, não concorda com as opiniões aqui expressas. Texto desta coluna: Roberto Nasser)

Deixe seu comentário