04 / 05 / 2017

Volkswagen deverá vender a subsidiária Ducati

Os recém-iniciados gastos com multas e indenizações à conta do escândalo das emissões superiores aos limites legais, e o grande projeto de imediata aplicação de recursos para desenvolver e produzir veículos elétricos, provocou a matriz da Volkswagen a vender alguns ativos. Primeiro, a italiana fábrica de motocicletas Ducati. Após, entrariam na lista a teuto-brasileira MAN/VW caminhões e a sueca Scania. O grupo possui 12 empresas e, aparentemente, inicia o processo cortando os extremos. Pela base, italiana fábrica de motocicletas Ducati em 2012 comprada pela Audi (que também é empresa da VW), por US$ 935 milhões. Por explicações da época tratou-se de meio prático, embora caro, de absorver e aplicar em automóveis tecnologia motociclística para a construção de motores com melhor relação entre peso e potência, e fusão de metais leves. Audi e Porsche devem ter aproveitado o ´know-how´, pois seus produtos tiveram sensível incremento na substituição de partes em ferro por outras em liga leve, em especial nas suspensões. No período, Audi aplicou na Ducati cerca de US$ 1,3 bilhão mudando operações, produtos, obtendo ótimos resultados operacionais. Aparentemente a VW entende, no reduzido círculo de atividades, não há interessados na aquisição, indo ao mercado para encontrar capitais externos. Contratou nos EUA a consultoria Evercore, primeira especializada no aconselhamento a bancos para investimento em negócios, para tratativas de vendas, formação de consórcios para a compra. Boatos de passá-la à frente correm desde o fim do ano passado, e ex-presidente da empresa no Brasil, ao despedir-se afirmou ser a Ducati a pérola da VW, e por isto não seria vendida. Aparentemente as condições mudaram, e num ditado nacional a VW prefere perder as pérolas para manter os dedos…

Ducati: após comprar e transformá-la em empresa lucrativa, VW quer vendê-la para fazer caixa

Ducati: após comprar e transformá-la em empresa lucrativa, VW quer vendê-la para fazer caixa

Mais >> Se a negativa quanto à Ducati se transformou em definição de vendas, parte dos caminhões exige, como se diz no velho Goiás, ´Café no Bule´. Negócio de valores exponencialmente mais elevados ante o não divulgado e pedido pela Ducati. A produtora de motos premium – quantidade reduzida, preço e lucro unitário elevados – não divulgou os lucros do exercício passado, mas creem-se próximos aos resultados de 2014 com 55 mil unidades vendidas e lucro de 55 milhões de Euros. Em 2016 repetiu o número de vendas. MAN é das mais antigas empresas de mecânica no mundo operando na Alemanha. No Brasil assumiu a Volkswagen Caminhões e ônibus, tipo submultinacional brasileira com operações de montagem no México. Scania, espécie de bilhete de primeira classe em caminhões. Interessantemente o Brasil é o único país com operação industrial das duas marcas. Ducati não tem fabricação local, comprando serviços de montagem à Dafra, em Manaus (AM). Consultada, MAN respondeu taticamente por Danielle Ritton, de Relações Públicas: – “A Volkswagen recentemente reafirmou que não tem intenção de vender suas marcas de caminhões.” Pela Volkswagen, André Senador, diretor, disse saber do assunto através da imprensa. Scania não respondeu à consulta.

Caminho >> Quem é do ramo, sugere decisão fundada em questões de convivência política. Os acionistas não querem ir a bancos tomar empréstimos e fazer capital necessário às penas do escândalo ´Dieselgate´, e investimentos em eletrificação de seus modelos. Também discordam de outra fórmula, participar de chamada de capital para entesourar a companhia, assim como emitir ações. Dado paralelo, há política familiar. Houve sério abalo de convívio entre os ramos Pïech e Porsche, juntos comandando a Porsche SE, a holding controladora da Volkswagen. A saída do primo Ferdinand e a ascensão do outro primo Wolfgang exibe poder do novo mando, com personalização nos caminhos para conduzir a companhia: as aquisições mais recentes – MAN, Scania, Bugatti, Lamborghini, Ducati – foram realizadas sob a gestão de Ferdinand, em seu processo de salvar, expandir, obter lucros recordes, colocá-la em crescimento ascensional atingindo a liderança mundial. Mas agora, sob o comando supremo de Wolfgang, e ante a necessidade de reunir recursos superiores ao lucro operacional, aparentemente comanda as ações para vender e fazer capital com as empresas adquiridas por seu primo e fora do caminho fulcral da marca. Válido o raciocínio a Bugatti, dos esportivos de performance e lendária nomeada, mas como empresa, de compra e operação nunca entendidas, deve ser também descartada…

:::::::::: :::::::::: :::::::::: :::::::::: :::::::

Novo motor VW a gasolina e GNV >> Aproveitando evento de tecnologia de motores, o ´Vienna Motor Symposium´, na capital austríaca, a Volkswagen mostrou serviço para desviar-se do foco do Dieselgate e seus prejuízos. Juntou propostas sob o dístico “Juntos: estratégia 2025”. De maior realce, mostrou projetos de ´emissão zero´ por otimização de motor elétrico e soluções a propulsores endotérmicos para uso imediato. A aplicação das novas ideias deverá ser apresentada no modelo Polo que estará no Salão de Frankfurt, 14 a 24 de setembro/2017. Sob o capô do Golf TSi BlueMotion, o motor 1.5 tricilíndrico estará disponível em dois meses.

Novo motor da VW que queimará gasolina e GNV

Novo motor da VW que queimará gasolina e GNV

A dita tecnologia ´Micro Híbrida´ permite ao motor (ao ser desacelerado até 130 km/h) avance por inércia até desligar-se completamente! A outra tecnologia de aplicação imediata é o motor tricilíndrico 1.0 turbo, produzindo 90 cv, mas capaz de otimizar o uso de gás metano, de origem fóssil ou laboratorial. Não se trata de iniciativas amalgamadas em protótipo, mas produtos para venda. Significa que tal tecnologia chegará por aqui.

:::::::::: :::::::::: :::::::::: :::::::::: :::::::

RODA-A-RODA

PODER – Ele é considerado o esportivo de melhor equilíbrio entre custar e oferecer, em primorosa construção pela AMG, agora fabricante sob a centenária árvore da Mercedes. É o AMG-GT. 

Mercedes AMG-GT, mas pode chamá-lo ´Diabo Verde´

Mercedes AMG-GT, mas pode chamá-lo ´Diabo Verde´

PRÉ – Vendas se iniciam em maio com entrega a partir de agosto a R$ 1,2 milhão! Construção em alumínio, motor V8, entre-eixos frontal, 4.000 cm³, biturbo, 585 cv, acelerando por tração traseira aos 100 km/h em 3,6 segundos.

DNA – Marca-o a grade inspirada nos protótipos 300 SL levados à ´Carrera Pan Americana´ em 1952. A cor verde metálica é para lembrar a floresta do circuito alemão de Nurbürgring onde foi desenvolvido, e onde a seção norte é hoje cenário e referência para indicar comportamento esportivo.

VESTIBULAR – Maserati comemorou centésima milésima unidade produzida, um sedã quatro portas, o Quattroporte Grandsport, em chocante branco, rodas de liga leve em aro 21”, contrastantes pinças de freio em vermelho. Cem mil unidades leva-a a patamar de credibilidade.

VÁRIA – Maserati, até chegar ao comando da Fiat, após saneada e salva pelo Engº Eugênio Alzatti, tem história rica e variada. Dos irmãos fundadores, à OSCA, e sociedades diversas, incluindo Citroën. Chegou à mão da Fiat, há três anos administrando projeto de grande crescimento mundial.

CURIOSIDADE – A festa foi no Salão de Shanghai, China, onde a marca vende 30% de seu volume, e é o maior mercado mundial para o modelo.

PRIORIDADE – Razões desconhecidas fizeram a Citroën produzir no Brasil e exportar à Argentina os seus modelos C3 e Aircross em demandada combinação do motor 1.6 e 115 cv com transmissão automática moderna de seis marchas.

Citroën C3, conjunto desejado: motor 1.6 aspirado com câmbio automático de 6 marchas

Citroën C3, conjunto desejado: motor 1.6 aspirado com câmbio automático de 6 marchas

CLARIFICANDO – Motor 1.6 + câmbio automático existem no mercado brasileiro, mas emprega a velha transmissão hidráulica com 4 marchas. A novidade está em atualização tecnológica utilizando-se unidade da japonesa Aisin.

PACOTE – Na edição do produto, além da novidade da transmissão – com seis velocidades, que aproveita muito melhor o motor, oferecendo mais disposição, velocidade e menor consumo –, adicionou dois airbags, totalizando quatro.

QUANTO? – Diferença de preço na Argentina para o novo opcional é de 20 mil Pesos, equivalente a uns R$ 3.900. Citroën não se manifestou quanto a data para chegada ao mercado brasileiro, mas se há para lá, haverá pra cá.

ALEMÃO – BMW iniciou vendas do novo sedã Série 5 no país nas versões Sport 530i e 540i, a respectivos R$ 315 mil e R$ 400 mil. Não pense ser a cilindrada indicada pela dezena. Já foi assim quando a engenharia era respeitada como referência de matéria técnica. Hoje 530 indica 2 litros de capacidade deslocados por motor de 4 cilindros e 540 é um 6 cilindros de 3.000 cm³, potências respectivas em respeitáveis 252 e 340 hp.

MAIS UP! – VW criou versão Cross do Up!, seguindo a mania nacional. Baseia-se na carroceria de 4 portas, motor turbo TSi com 105 cv, vindo em quatro níveis de decoração e equipamentos. Alcança a evolução de estilo, focando em tecnologia, como iluminação em LEDs, mudança na instrumentação e interconectividade.

MERCADO – Na prática aproveita o bom projeto de marketing do carro, com o motor forte disponível em várias versões, aplicando detalhes e confortos não usuais em sua classe. Adicionalmente está ainda mais econômico.

MAIS – Ampliando oferecimentos em sua linha de picapes Saveiro, a VW oferece versão Robust, para trabalho, agregando cabine dupla e mais três passageiros. Traz curiosa composição do motor 1.6 EA111 (antigo), rodas em chapa de aço e aro 15”, e o mimo de freios a disco nas quatro rodas. Linha Saveiro tem sete opções, três em carroceria.

ATUAL – No amplo portfólio há versão Cross, melhor equipada e com o motor atualizado, o EA 211, 1.6 e 120 cv de potência.

SIMPATIA – Nissan fez filmete para homenagear pessoas que, por condições diversas, inclusive idade, tem vedada a renovação da Carteira Nacional de Habilitação. Chama-o “A Grande Despedida” e é sensibilizante. Situações reais gravadas no bom circuito Velo Cittá com o pico de performance da marca, o GT-R. Emociona. Veja aqui: https://www.youtube.com/watch?v=3iZWsQC2tFU

PESO PESADO – Petronas, fábrica de óleos lubrificantes, tem novidades para veículos pesados com óbvios motores a diesel, agregando tecnologia ViscGuard ao seu conhecido Urania. Promete reduzir seriamente a manutenção pela formação de resíduos da combustão.

CAMINHO – Petronas sucedeu Agip e Tutela, esta a responsável pela quebra de conceitos de lubrificantes no Brasil, permitindo o largo desenvolvimento observado nos últimos 30 anos. Empresa quer ser a maior do ramo em 2019.

MERCADO – Ante a queda de vendas seccionando o mercado à metade, fabricantes de motores e caminhões lançam-se em caminhos alternativos para fomentar negócios. Mercedes-Benz por seu Consórcio, implantou loja virtual, acessível pelo site www.mercedesbenzconsorcio.com.br

LEQUE – Age no varejo para autônomo e no atacado para empresário, buscando tornar o consórcio alternativa de serviços financeiros para renovação de frota.

TROCA – Cummins, de motores diesel, criou departamento ReCon para remanufaturar motores da marca. Na prática o motor necessitando de retífica é dado como parte do pagamento de outro, refeito com peças genuínas, e garantia de novo pela fábrica.

E-COMMERCE – Volvo selecionou 250 itens de seus caminhões e ônibus e colocou-os em vitrine eletrônica para compra ´on line´ via computador, tablet ou telefoninho esperto. Tal tipo de vendas cresceu, no global, 11% em 2016 e previstos 12% neste exercício. Vendedor caminha para ser atividade restrita.

ANTIGOS – Coisas com automóveis antigos são especiais. Fusquinha de 1980 roubado em 1994 apareceu 23 anos depois! Polícia foi chamada para remover sucata e descobriu haver sobre tais restos uma queixa de furto, chegando até ao dono via Roberto Cabral Medeiros, Delegado, colecionador e usuário de Fusca antigo… Aconteceu em Bauru (SP). OOOO (Os artigos assinados por colaboradores são de inteira responsabilidade dos seus autores. A editoria geral desse veículo, necessariamente, não concorda com as opiniões aqui expressas. Texto desta coluna: Roberto Nasser)

Deixe seu comentário